V Congresso Internacional Slow Food

Puebla – México, novembro de 2007 

Numa linda e surpreendente cidade-museu, Puebla, aconteceu um encontro memorável!

Continuando com o foco no BOM, LIMPO e JUSTO , cá estão algumas coisas que me chamaram a atenção durante as sessões do encontro:

– a recuperação da sabedoria, através da proteção, preservação e usos de conhecimentos e técnicas tradicionais, tanto no cultivo das espécies como na criação dos animais, para que se mantenha uma relação harmoniosa com a natureza.

– atenção plena ao local: além de continuar a promover as cozinhas regionais, precisamos ter um olhar muito atento às culturas, memórias e economias locais, incentivando mercados de produtores, onde além da comida, naturalmente vão se unir artesanato, música, causos, história, arte, unindo a comunidade, fortalecendo a economia local e juntando cada vez mais o consumidor ao produtor.

– ter em mente que todos: produtores, cozinheiros, acadêmicos, consumidores devemos nos unir cada vez mais para promover a sustentabilidade e qualidade da produção, lembrando que o planeta é a nossa fonte de vida e de prazer e que tem que ser preservado para as gerações futuras.

 – aprofundar a comunicação (com o Slow Food, Terra Madre, Universidade, Fundação Slow Food para a Biodiversidade, etc) através de todos os meios disponíveis, formando redes que através da troca de informações poderão se beneficiar, ensinar e aprender.

– mas foi a proposta dos jovens estudantes participantes a todos os estudantes do mundo, das coisas que mais me emocionou e encheu de esperanças!!! Vale a pena ler no site .

Algumas frases que fui anotando:

– A comida é um patrimônio da humanidade

– A comida se transforma de comida em cultura

– Todo mundo precisa comer, mas nem todos podem plantar

– Recuperar a sabedoria é a chave para a defesa da biodiversidade: precisamos respeitar os saberes tradicionais e revitalizá-los

– “As mentiras quando são simples e não fazem mal, são como os sonhos, podem se tornar realidade” Carlo Petrini, comentando sobre ter dito no Congresso de 2004 que o próximo seria em Puebla, sem ter idéia se seria possível….

Além disso e de muito mais, temos agora uma representante no Conselho Internacional: a Roberta Marins de Sá !!! Isso é realmente importante, pois são somente 2 os representantes da América Latina!

Gente, ao trabalho!!! Temos muito o que fazer…

 


Margarida Nogueira é Chef de Cozinha, Ecogastrônoma, Fundadora do Movimento Slow Food no Brasil, membro da Comissão Brasileira da Arca do Gosto e Líder do Convivium Rio de Janeiro. 

Deixe um comentário:

Últimas notícias

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress

Como a cidade pode e deve apoiar o campo?

Date 17 junho, 2022
Na busca por respostas, um consenso é de que qualquer solução passa pela mudança da forma como consumimos, produzimos e distribuímos alimentos.