A Arca do Gosto continua crescendo

17/12/2008 – Fundação Slow Food para Biodiversidade

2008 foi um ano excitante para a Arca do Gosto, o projeto primogênito desenvolvido pela Fundação Slow Food para Biodiversidade.

Em 2008 muitos produtos foram incluídos no catálogo de produtos artesanais de qualidade produzidos em pequena escala: da Alemanha o porco Piebald Bentheim, as batatas Bamberger Hörnla e o queijo Würchwitzer Mite; da Argentina o pinhão de Araucária e a farinha de Alfarroba Branca; do Japão o Yūkō (uma variedade local de tangerina) e a Akanegi, uma variedade local de cebola vermelha; do Reino Unido a Cidra de Sommerset, as ovelhas Portland, a Ormer verde (um tipo de crustáceo), as avelãs de Kent, os camarões da baía Morecambe, as ovelhas Manx Loaghtan, os aspargos Formby, Windermere Char, as batatas Jersey Royal, a “Manteiga Negra” de Jersey (uma compota); a Espanha incluiu um total de 19 produtos, como a Batata Gorbea, o queijo de vacas Menorquina e o tomate Cuarentena; os Estados Unidos também contribuíram com muitos produtos, como o Arroz Dourado da Carolina e o Mel Guajillo. A Itália adicionou as Lentilhas Negras das montanhas Erei e a Abelha Negra Siciliana.

Houve também a inclusão de novos integrantes para as Comissões Nacionais: Jaime Burgaña, um agrônomo especializado em agricultura orgânica e pesca costeira, é o novo coordenador da Comissão da Arca do Gosto da Espanha, enquanto Sandor Schiferli é o novo coordenador da Comissão Nacional Holandesa. A Romênia iniciou sua própria Comissão Nacional, formada por especialistas na área de alimentos: produtores, jornalistas, historiadores, sommeliers, Chefs e especialistas em raças animais. O coordenador das duas Fortalezas Romenas (Branza de Burduf – também um produto da Arca – e as compotas da Saxon Village) também faz parte da Comissão, da qual o coordenador é Albert Reinders, o líder do Convivium Brasov.

Entre os dias 5 e 6 de julho de 2008 a Comissão Internacional da Arca do Gosto se encontrou em Scandicci (Florença – Itália). As discussões foram focadas na importância do trabalho desenvolvido pelas Comissões Nacionais e a Comissão Internacional, no descobrimento e catalogação de produtos ameaçados para a Arca e o apoio aos projetos das Fortalezas no campo, assim como para todos os outros projetos promovidos e apoiados pela Fundação Slow Food para Biodiversidade. A Arca do Gosto e as Fortalezas dividem o mesmo caminho e tem que trabalhar juntos, trocando experiências e recursos.

Leia a lista completa de produtos na Arca do Gosto, separadas por país ou tipo de produtos na página eletrônica da Fundação Slow Food para Biodiversidade.

Deixe um comentário:

Últimas notícias

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress

Como a cidade pode e deve apoiar o campo?

Date 17 junho, 2022
Na busca por respostas, um consenso é de que qualquer solução passa pela mudança da forma como consumimos, produzimos e distribuímos alimentos.