A educação no Terra Madre 2010

A educação alimentar e do gosto permite saborear e apreciar os alimentos em todos seus aspectos: características organolépticas e a capacidade de transmitir sabores e cultura de uma determinada região. Com um acervo de conhecimentos e experiências, cada um pode viver a refeição, até a mais simples, como uma aventura para o paladar e para a mente. A pedagogia do gosto permite adquirir os instrumentos necessários para realizar escolhas alimentares conscientes, reconhecer a qualidade dos alimentos, favorecendo os alimentos bons, limpos e justos.

A rede de Terra Madre realiza, no mundo inteiro, atividades educativas voltadas para diversas faixas de idade: as comunidades do alimento, que fazem parte da rede do Slow Food, têm o constante compromisso de desenvolver projetos pedagógicos em seus países educando ao prazer dos sabores locais, à defesa das tradições e das paisagens. No Senegal, por exemplo, onde há elevados níveis de pobreza e a biodiversidade agrícola está fortemente ameaçada, o convivium Slow Food de Dakar iniciou um projeto, contando com a colaboração de alguns cozinheiros de Terra Madre, para promover, junto das crianças de 10-12 anos, o consumo de cereais locais. Em Cuba, ao mesmo tempo, um projeto prevê a realização de seminários de formação voltados para os adultos, para favorecer a difusão de hortas orgânicas comunitárias. 

Em Turim, o encontro mundial das comunidades do alimento vai representar mais um momento extraordinário de encontro para todos os delegados envolvidos nas ações educativas, que poderão trocar ideias, desenvolvendo novos projetos para o futuro. Terra Madre 2010 contará com toda uma área dedicada à educação. Dentro do "Oval", haverá uma sala apropriadamente organizada: dois terminais informáticos permitirão aos participantes de indicar as próprias tradições culinárias e os projetos educacionais em andamento.

Também será montado o percurso sensorial Às Origens do Gosto, disponível nos 8 idiomas oficiais de Terra Madre, que começará com um vídeo introdutivo sobre a degustação, apresentando o vocabulário de base, com os termos utilizados para descrever os produtos alimentares. Continuará com uma série de jogos sensoriais divididos em várias seções – gosto, olfato, vista, tato, multisensorialidade – programados para estimular os sentidos. O percurso terminará com uma degustação de chocolate e maçãs, com o uso de um áudio-guia. As lições aprendidas durante as duas primeiras seções serão sintetizadas, permitindo comparar e avaliar as três variedades de maçã e chocolate amargo, identificando a amostra mais crocante, doce, suculenta, azeda, amarga ou com o aroma mais intenso.

O programa de Terra Madre 2010 também prevê diversos encontros sobre a educação alimentar e do gosto.

O Laboratório da Terra "Slow Food nas cantinas" (domingo, dia 24 de outubro – 10h00 – sala B) será dedicado às refeições coletivas escolares, um setor onde uma nova perspectiva da alimentação diária pode produzir resultados relevantes. Comprando, processando e servindo milhões de refeições por dia, as cantinas têm de fato a possibilidade de dar uma orientação diferente ao mercado, promovendo atitudes mais corretas e o uso de produtos locais, de qualidade, sazonais. O encontro faz parte do projeto "European Schools for Healthy Food", promovido pelo Slow Food e financiado pela Comissão Europeia – Direção Geral Agricultura e Desenvolvimento Rural: o projeto conta com o envolvimento de 10 países europeus (Itália, França, Bélgica, Reino Unido, Irlanda, Irlanda do Norte, Espanha, Polônia, Romênia, Bulgária e Letônia) numa campanha que promove, dentro das escolas, o consumo de alimentos saudáveis e frescos.

Está previsto também um encontro (sábado, dia 23 de outubro – 12h00 – sala educazione) dos representantes da rede europeia "Slow Food in the Canteen". A rede, coordenada pelo Slow Food no âmbito do mesmo projeto europeu, reúne as cantinas escolares europeias que atuam para melhorar a qualidade do serviço, desenvolvendo projetos educativos para os mais jovens (http://dreamcanteen.ning.com)

Outro laboratório, cujo título é "Princípios pedagógicos e práticas de educação alimentar do Slow Food", (domingo, dia 24 de outubro – 13h00 – sala H) será dedicado ao "Manifesto internacional para a educação" que visa esclarecer o quadro teórico no qual se inserem as ações educativas da associação, e à definição coletiva de um vade-mécum sobre as boas práticas nas atividades educativas desempenhadas pelo Slow Food no mundo inteiro.

Também foi previsto um encontro para os delegados que atuam nos projetos de educação alimentar e do gosto (sábado, dia 23 de outubro – 15h00 – sala educazione), para que contribuam, com suas propostas, a organizar o seminário sobre o tema.

Entre os encontros organizados sobre o tema da educação, haverá ainda um Laboratório dedicado às hortas escolares (domingo, dia 24 de outubro – 13h00 – sala D) e a apresentação de um kit de educação sensorial (sábado, dia 23 de outubro – 10h00 – sala educazione) realizado pelo Slow Food em colaboração com a ONG italiana Mani Tese no âmbito do projeto "From food security to food sovereignty. Citizens and Local Authorities towards a new paradigm in Europe to reduce world hunger" ("Da segurança alimentar à soberania alimentar. Cidadãos e Autoridades Locais rumo a um novo paradigma na Europa, com o objetivo de reduzir a fome no mundo"). O kit, dedicado à educação do gosto, à didática do conceito de soberania alimentar e às boas práticas, será distribuído a todos os delegados interessados.

Saiba mais: www.terramadre.org

Deixe um comentário:

Últimas notícias

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress

Como a cidade pode e deve apoiar o campo?

Date 17 junho, 2022
Na busca por respostas, um consenso é de que qualquer solução passa pela mudança da forma como consumimos, produzimos e distribuímos alimentos.