Em Turim, os “Percursos da Excelência”

O que têm em comum Etson, um jovem peruano do Vale do Colca, e Edwin, um chef do sul da Bolívia? O que une Fernando, que coleta o requisitadíssimo loco, um fruto do mar, no Chile, e Saleheddine, que cultiva a sua terra na Reserva da Biosfera no norte do Marrocos?

Todos estão empenhados em vencer um grande desafio: garantir em seus países um desenvolvimento sustentável e socialmente inclusivo baseado na valorização da diversidade biológica e cultural. Todos acreditam no valor do patrimônio natural e cultural que identifica a sua terra, a sua história, o seu modo de vida, resultado de uma interação milenar com a natureza, as migrações, as sobreposições e integração de pessoas, produtos, hábitos, crenças. Todos querem preservar e conservar esta identidade, mas principalmente valorizá-la. Querem transformar a unicidade originada pela diversidade em recurso econômico e social.

Estes também são os objetivos de Regina, que promove a gastronomia social no Rio de Janeiro, e Pavlos, cuja família produz há séculos um azeite de oliva de altíssima qualidade nas colinas da Trácia. Todos estes agricultores, pescadores, cozinheiros, gastrônomos, jovens líderes ou representantes de organizações locais iniciaram um ambicioso percurso de inovação que se desenrola entre desenvolvimento territorial e difusão de condições de trabalho igualitárias. Todos eles são protagonistas de um projeto piloto da Slow Food e do Programa Desenvolvimento Territorial Rural com Identidade Cultural do RIMISP – Centro Latino-americano para o Desenvolvimento Rural.

Percursos da Excelência, uma viagem pelos territórios através de seus produtos e protagonistas”: assim se chama o projeto realizado com o apoio do Slow Food e da Fundação Ford, que será apresentado no Salone del Gusto e Terra Madre com uma mostra itinerante, partindo de Turim.

Da América Latina ao norte da África e à Europa serão apresentadas 12 regiões diferentes, muitas vezes caracterizadas por condições difusas de desigualdade e marginalização, seja em países desenvolvidos ou em via de desenvolvimento. O público poderá conhecer os protagonistas da tradição agroalimentar e cultural de cada área, degustar os seus produtos de excelência e viver uma verdadeira viagem de descoberta através de imagens, sensações e sabores.
De 25 a 29 outubro, as pessoas que vivem e trabalham nestas regiões compartilharão com o público e os produtores do Salone del Gusto e Terra Madre a beleza de sua terra e a riqueza de sua cultura da qual são portadores muitas vezes inconscientes.

Saiba mais:
www.pathsofexcellence.org
www.rimisp.org
www.slowfood.it
www.slowfood.com

Deixe um comentário:

Últimas notícias

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress

Como a cidade pode e deve apoiar o campo?

Date 17 junho, 2022
Na busca por respostas, um consenso é de que qualquer solução passa pela mudança da forma como consumimos, produzimos e distribuímos alimentos.