Rafael brazilian indigineous youth

Rafael e as Terras Tupinikins – Terra Madre Jovem

Terra Madre Jovem – We Feed the Planet

Rafael brazilian indigineous youth

Rafael Oliveira é índio Tupinikim, nascido e criado nas terras que seu povo conquistou ao longo de muitos anos de luta. As atuais terras indígenas Tupinikim estão cercadas pelo monocultivo de eucalipto, há mais de quarenta anos instalado no município de Aracruz, sudeste do Brasil. A indústria florestal e os recentes investimentos do pré sal passam a dominar a paisagem do território. O cenário é o de um complexo desafio de convivência entre índios e não-índios.

Apenas a geração dos velhos Tupinikim teve oportunidade de manter um vínculo mais próximo com remanescentes de Mata Atlântica ainda presentes na região até os anos 1950. Os mais jovens nasceram sob a paisagem forjada para a exploração da celulose, sem qualquer oportunidade de se prepararem para colocar-se com dignidade no novo contexto socioeconômico que se impôs.

​Rafael é técnico agrícola e ​trabalha com uma equipe comprometida em devolver a saúde para terras indígenas, agora reconhecidas pelo Estado brasileiro.  Os imensos eucaliptais estão sendo substituídos por plantios de sementes crioulas, seguindo os princípios da Agroecologia. Um compromisso que Rafael assume pela recuperação dos recursos naturais e do uso sustentável da terra em que nasceu e terá seus filhos.​

Jerônimo Villas-Bôas/Marina Khan

“Ao me olhar no espelho poderia dizer

Quem sou eu?

De onde eu vim?

Até onde posso chegar?

Com grande orgulho respondo

Sou Rafael nativo dessa terra

Descendente de indígenas  

Sangue tupiniquim corre em minhas veias

Moro no estado onde não teria nome melhor, Espírito Santo

Lugar de belas praias, montanhas e rios.

Cresci na aldeia chamada Caieiras Velhas, no município de Aracruz

Lugar onde tive a felicidade de dar meus primeiros passos em chão batido

Pelas belas rodas de congos ritmadas com tambores e casacas

Com cultura a se perder de vista, tangas, colares, chocalhos e cocares

Mas nem tudo se resume às coisas boas: posso estar pensando alto aonde quero chegar

Chegar como era antigamente, quando meu povo podia tirar seu próprio sustento da terra, rios e matas, tudo com muita fartura

Sobreviverem do seu próprio trabalho, seja na terra, rios, mangues, matas

Produzindo alimentos de qualidade, saudáveis

Mas não vou conseguir isso sozinho

Conto com ajuda do meu povo e principalmente dos jovens

E com colegas de trabalho

E tendo felicidade de aumentar meus conhecimentos com uma grande oportunidade, o Slow Food

Onde vou poder “colher bons frutos” e dividir com meu povo.”

Rafael Souza

Saiba mais sobre o Terra Madre Jovem e apoie a participação de jovens como o Rafael :www.wefeedtheplanet.com

 

 

Deixe um comentário:

Últimas notícias

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress

Infográficos do projeto Sociobio Baiana

Date 10 agosto, 2022
Dentro do projeto Slow Food na defesa da Sociobiodiversidade e da Cultura Alimentar Baiana, elaboramos uma série de 10 infográficos abordando uma...

A comida fala

Date 21 julho, 2022
A temática aqui trazida contempla muito da riqueza de reflexões experienciadas a partir da disciplina de Antropologia da Alimentação, ministrada em 2021,...

Receita: Bolo de Puba

Date 18 julho, 2022
A puba (ou carimã como conhecida em alguns lugares) é mais uma das maravilhas obtidas a partir da deusa da alimentação brasileira...