Atividade de campo mobiliza a juventude indígena do município de Itapipoca para resgatar a história e a cultura alimentar local

As vivências do modo de fazer, propostas pelo projeto Território e Cultura Alimentar do Ceará, envolvem mulheres, jovens e lideranças das aldeias Buriti do Meio, São José, Munguba e Buriti de Baixo para construção do inventário participativo da cultura alimentar do povo Tremembé da Barra do Mundaú. Os inventariantes foram organizados em equipes categorizadas em modos de pescar, modos de cultivar, criação de animais, medicina tradicional e preparos culinários e estão sendo conduzidos pela consultora do projeto Gabriella Pieroni, historiadora e educadora, que faz parte do grupo de trabalho Slow Food Brasil Educação e atua na preservação e salvaguarda do patrimônio imaterial.

Por se tratar de um inventário do patrimônio cultural alimentar, o objetivo são os alimentos e as referências ligadas à ele, incluindo sua produção, costumes, crenças e celebrações. A metodologia aplicada nos encontros tem uma abordagem investigativa e possibilita, através das entrevistas, a interação entre as diferentes gerações da comunidade. Esse contato com os “troncos velhos”, como são conhecidas as pessoas de mais idade, permite o aprofundamento no “saber-fazer” tradicional do território, oportunizando a identificação e a conexão, por parte dos mais jovens, com iguarias, saberes e práticas próprias do lugar.

Na atividade sobre os modos de pescar, por exemplo, foram compartilhadas histórias específicas do mar, do rio e do mangue e o grupo de preparos culinários trouxe a tradição do café de milho. Conhecimentos ancestrais que proporcionam a regeneração das relações comunitárias em torno do alimento e o fortalecimento da identidade territorial para um desenvolvimento sustentável e consciente sobre a sua sociobiodiversidade e seus sistemas agroalimentares.

Os encontros aconteceram na segunda semana de março e seguiram todos os protocolos de segurança estabelecidos para controle da pandemia do Covid-19. Além disso, foram acompanhados pela equipe de saúde indígena, que também entregou kits sanitários aos inventariantes.

Território e Cultura Alimentar no Ceará

Essa etapa do projeto visa mapear e salvaguardar os conhecimentos sobre a cultura alimentar do povo Tremembé da Barra do Mundaú e fomentar a valorização de seus ingredientes e saberes.  O objetivo é fortalecer a identidade territorial para garantir a segurança alimentar e nutricional, incentivando o potencial sustentável da comunidade e o consumo de alimentos produzidos localmente.

Uma realização da Associação Slow Food do Brasil (ASFB) e do AKSAAM – Adaptando Conhecimento para a Agricultura Sustentável e o Acesso a Mercados, projeto do FIDA – Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola em parceria com a Universidade Federal de Viçosa (UFV), com o apoio dos projetos Paulo Freire (FIDA), São José (Banco Mundial) e a Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco.

Leave a Comment:

Últimas notícias

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress

Dona_joana_manue_foto_Jussara_Dantas

Três vezes manuê

Date 1 dezembro, 2022
O manuê ou manauê é um bolo de milho e melado de cana com muito sabor e muita história. Faz parte do...

WhatsApp-Image-2022-11-17-at-16.22.06

“É preciso mudar radicalmente o sistema alimentar vigente”, defende Carlo Petrini, fundador do movimento Slow Food, em evento realizado em São Paulo no início de novembro de 2022.

Por mais ativismo alimentar na gastronomia

Date 18 novembro, 2022
“É preciso mudar radicalmente o sistema alimentar vigente”, defende Carlo Petrini, fundador do movimento Slow Food, em evento realizado em São Paulo...

taioba Festival Arca do Gosto 2016

Festival Arca do Gosto

Date 16 novembro, 2022
O Festival Arca do Gosto é um festival ecogastronômico voltado para a sensibilização de restaurantes e comensais sobre a biodiversidade e os...