Fortalecimento da Sociobiodiversidade da Mata Atlântica – Vale do Paraíba e Costa Verde

Comunidades // Sudeste // Rio de Janeiro, São Paulo (SP) // Paraty, São Sebastião, Ubatuba, Vale do Paraíba

Temas e atuação

Sociobiodiversidade, Mata Atlântica, Educação

Objetivos

  • Fortalecimento das redes de produção, divulgação, consumo e pesquisa dos produtos da Mata Atlântica valorizando a conservação e a cultura.
  • Valorização da gastronomia local.
  • Fortalecimento da Agroecologia e da Economia Solidária. Fomento à utilização de hortaliças tradicionais, plantas alimentícias não convencionais (PANC), plantas medicinais, peixes e outros frutos do mar de menor expressividade comercial, fungos alimentícios não convencionais (FANC) e frutas e espécies vegetais nativas.
  • Ações de reconhecimento da cultura alimentar de povos e comunidades tradicionais. Fortalecimento de cadeias da Sociobiodiversidade.
  • Promoção da pesca sustentável
  • Fomento ao turismo de base comunitária e que valoriza uma cultura regional, incluindo as tradições alimentares.
  • Educação Ambiental e Alimentar. Conectar e valorizar os produtos e produtores do bioma Mata Atlântica nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.
  • Apoio à Segurança e à Soberania Alimentar e Nutricional.
  • Valorização do extrativismo sustentável e dos produtos da floresta.
  • Estímulo a iniciativas coletivas para uso dos espaços públicos para a produção de alimentos para a comunidade local.
  • Fortalecimento de cadeias produtivas, redes, canais de comercialização e consumo regional de produtos agroecológicos e da Agricultura Familiar.

Compromissos

  • Realização de Oficinas do Gosto, palestras e cursos para promoção dos alimentos locais e agroecológicos, rodas de conversa e debates. Identificação de alimentos para Arca do Gosto.
  • Articulação para criação de Fortalezas. Disco Xepa, Terra Madre Day, Semana Nacional do Alimento Orgânico, ocupação de espaços em GT's e Comissões Especiais de discussão e preparação de políticas públicas.
  • Articulação interinstitucional e parcerias.
  • Formação de grupos de compras (CSA) de produtos agroecológicos e da sociobiodiversidade.
  • Organização de festivais e seminários que reúnem chefs, restaurantes, membros de comunidades tradicionais e produtos da sociobiodiversidade mudando com uma filosofia Slow Food.
  • Produção de conteúdo sobre cultura e tradições alimentares.
  • Apoio a hortas urbanas e iniciativas agroecológicas.
  • Organização de cursos e treinamentos.
  • Mapeamento da rede de cultura alimentar.
  • Criar ações culturais que envolvam experiências sensoriais.

Porta-voz e representantes

porta-voz: Kenia Bahr; coordenadoras: Chistine Bonnell, Maria Capai, Priscila Giudice, Michele Gilaberte, Larissa Nunes

Outras Comunidades