Membros e Comunidades

Ser um membro do Slow Food significa acreditar e defender que todas as pessoas têm o direito de se alimentar de forma boa, limpa e justa. Significa entender que nossas ações e escolhas têm um impacto direto no meio ambiente e que é preciso unir esforços em defesa da biodiversidade alimentar,  da produção sustentável de alimentos e da valorização do conhecimento popular e tradicional dos vários guardiões da terra e das sementes.

Quem participa?

Qualquer pessoa que se identifique com a filosofia Slow Food pode fazer parte da nossa rede, participando das ações e atividades. Coprodutores, cozinheiras e cozinheiros, jovens, ativistas, jornalistas, agricultores familiares, pescadores artesanais, extrativistas, pesquisadores, acadêmicos, artistas e qualquer outra pessoa envolvida e interessada nas questões alimentares pode se somar nesse movimento. Para isso, basta preencher um cadastro e buscar a comunidade mais perto ou com a qual você mais se identificar. Também é possível juntar os amigos e conhecidos e formar um novo nó dessa Rede.

.

O que são as Comuidades Slow Food?

A Comunidade Slow Food (CSF) é a estrutura organizacional básica do movimento Slow Food, a qual chamamos carinhosamente de nó da nossa rede. Uma CSF é criada a partir da reunião de um grupo de pelo menos 10 pessoas que definem seus objetivos em comum e estabelecem o compromisso em promover os valores e filosofia do movimento Slow Food em seu território e em suas ações. 

Ilustração-William-França.png
Ilustração: William França

Qual o papel da Comunidade?

As Comunidades se comprometem a multiplicar a filosofia Slow Food em seus territórios, fortalecer a rede local e contribuir para o funcionamento dos programas do Slow Food e da Associação Slow Food do Brasil (ASFB). Também podem criar seus próprios projetos e atividades, em diálogo com o movimento em todo o mundo. 

.

carlopetrini mda

Cadastro membro Slow Food

O Movimento Slow Food nasceu em 1986 e é hoje uma realidade em mais de 170 países. É formado por pessoas, como você, interessadas em cultivar o prazer da alimentação, compartilhar alimentos saborosos, produzidos de forma sustentável e saudável. Pessoas que compreendem a importância de se aproximar e fortalecer o trabalho de quem produz alimentos, de quem protege a terra e os recursos naturais, tornando-se assim, um coprodutor, um parceiro ativo na defesa da biodiversidade alimentar.

Para começar, precisamos nos conhecer, trocar experiências e contatos e buscar os outros membros e Comunidades que também estão fazendo um trabalho parecido perto de você. Vamos lá?

produtora de bijajica
Maria Helena. Produtora de bijajica
Valentina Bianco parceria CAR BA
Valentina Bianco. Seminário Alimentação. Salvador, Bahia.

Como o membro participa do movimento?

Você pode fazer parte desse movimento atuando no seu território e promovendo pequenas mudanças no seu dia-a-dia, da sua comunidade e da sua família. Pode ajudar a divulgar e a construir as campanhas e atividades que trabalham temáticas como a Educação do Gosto, a pesca sustentável, a defesa dos Queijos Artesanais de Leite Cru, a luta contra os transgênicos e contra o desperdício alimentar e muito mais. Pode buscar conhecer e pesquisar produtos que fazem ou que poderiam fazer parte do catálogo da Arca do Gosto.

Se você é cozinheiro, pode fazer parte da Aliança dos Cozinheiros Slow Food, e ajudar a fortalecer o trabalho das Comunidades e Fortalezas Slow Food, se unir aos demais profissionais da alimentação para divulgar o Movimento e sensibilizar as pessoas que entram em contato com o seu trabalho e experimentam os sabores da sua comida.

Faça seu cadastro! E leia o material de mobilização da rede para conhecer documentos, manifestos, posicionamentos e outros conteúdos produzidos pelo movimento Slow Food e parceiros a fim de embasar mais sua atuação.

.

Encontre as comunidades próximas à voce!

Comunidades existentes

Assim como os nós de uma rede ligam e sustentam todo o conjunto, as Comunidades Slow Food são os pilares do nosso Movimento, os grupos que reúnem os membros e apoiadores nos diversos territórios. As Comunidades são o ponto de encontro de troca e de interação entre todas as pessoas que fazem parte da Rede. Cada grupo de mínimo 10 pessoas define o seu nome, seus objetivos principais e seu campo de atuação. Em seguida, preenche o formulário disponibilizado pelo Slow Food e inicia o processo de formalização. A Comunidade recebe então o seu logo e as informações necessárias para começar a organizar atividades e divulgar o seu trabalho. A equipe da Associação Slow Food do Brasil, assim como os demais membros da Rede estarão à disposição para conversar, tirar dúvidas e ajudar na construção do percurso de cada grupo e de seus membros.

.

Criando
uma nova comunidade

Junte os membros

Procure pessoas próximas a você que se identifiquem com a filosofia do movimento Slow Food. São necessárias pelo menos 10 pessoas para formalizar o processo.

Definam os objetivos

A Comunidade pode realizar diversas ações, mas é importante definir alguns objetivos principais, comuns entre o grupo.

Escolham um nome

O nome da Comunidade deve refletir os objetivos principais do grupo e a ligação com o território de origem.

Planejem suas ações

Pequenas ações pontuais, encontros, atividades temáticas, visitas à produtores são uma ótima foma de começar.

Definam a contribuição

A comunidade deve definir como e quanto serão as contribuições anuais ao movimento Slow Food.

>> Acesse o tutorial com informações detalhadas <<

.

Comunidades Slow Food Brasil

Estes dados estão sendo atualizados! Se não encontrou o que procura, entre em contato.